Weintraub confirma que Bolsonaro foi informado sobre operação da PF contra Flávio

O ex-ministro da Educação Abraham Weintraub confirmou que Jair Bolsonaro (PL) teve informações privilegiadas sobre a Operação Furna da Onça, da Polícia Federal (PF), que tinha como um dos alvos o filho 01 do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), enquanto ainda era sigilosa. A operação também foi segurada para proteger Bolsonaro durante as eleições de 2018.


O ex-ministro bolsonarista afirmou que o próprio Bolsonaro comunicou alguns integrantes da equipe de transição do governo e futuros ministros, em novembro de 2018. As declarações foram dadas ao podcast Inteligência Ltda, na noite de domingo (17).


“Juntou assim em uma mesa comprida e falou: ‘Ó, eu chamei pelo seguinte: está para aparecer uma acusação, está pegando esse cara aqui’. Apontou para o Flávio”, afirmou ao lado do irmão Arthur Weintraub, que também integrou o governo Bolsonaro e participou do podcast.


As declarações de Weintraub confirmam a denúncia feita pelo empresário Paulo Marinho, ex-aliado do clã presidencial e suplente de senador de Flávio.

Delegado da PF simpatizante a Bolsonaro fez alerta

Em 2020, Marinho afirmou que um delegado da Polícia Federal (PF) simpatizante de Bolsonaro avisou sobre a operação e segurou a deflagração para depois do segundo turno das eleições de 2018.


De acordo com ele, o delegado também teria aconselhado Flávio a demitir Queiroz e a filha dele, que trabalhava no gabinete do então deputado federal Jair Bolsonaro. Ambos foram exonerados em 15 de outubro de 2018 por ordem de Bolsonaro.


Em dezembro daquele ano, o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), com as movimentações suspeitas na conta de Queiroz, apontado pelas investigações como operador do esquema das rachadinhas, foi divulgado.

Durante reunião ministerial em 22 de abril de 2021, Bolsonaro tentou interferir na PF. E ameaçou o então ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro.

“Já tentei trocar gente da segurança nossa no Rio de Janeiro e oficialmente não consegui. Isso acabou. Eu não vou esperar f… minha família toda de sacanagem, ou amigo meu, porque eu não posso trocar alguém da segurança na ponta da linha que pertence à estrutura. Vai trocar. Se não puder trocar, troca o chefe dele. Se não puder trocar o chefe, troca o ministro. E ponto final. Não estamos aqui para brincadeira” Jair Bolsonaro

A tentativa de interferência política de Bolsonaro na PF está em investigação pelo Supremo Tribunal Federal (STF).


Com informações do Metrópoles e Folha

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo