Startup lançará criptomoeda focada em pequenos produtores rurais


(Imagem: Socialismo Criativo)

A startup brasileira Culte vai lançar na próxima semana a cultecoin, uma criptomoeda para viabilizar a compra da produção de pequenos agricultores a preços mais acessíveis. Os negócios serão feitos dentro do marketplace da empresa, que oferece uma loja online para os produtores, conta digital, emissão de boleto, pagamento em cartão de crédito por link e empréstimos.


De início, a startup vai disponibilizar 21 milhões de tokens, o que corresponde a 10% do total, ao custo de US$ 0,05 cada. Depois haverá etapas mensais no mercado ao longo de 50 meses. Os 20% restantes (42 milhões) ficarão no smart contract para negociação em bolsa, o que está previsto para 2022. Assim, o valor total dos tokens hoje é de US$ 10,5 milhões.


Segundo Cláudio Rugeri, CEO e cofundador da Culte, a ideia é não cobrar juros e em troca receber a produção do agricultor, que será colocada à venda dentro do marketplace.

“Apenas os detentores dos tokens utility cultecoin terão acesso a áreas exclusivas do marketplace da Culte. Lá, agricultores, agroindústrias e fornecedores de insumos disponibilizarão seus produtos para comercialização em condições diferenciadas.” Cláudio Rugeri

Leia também: Investimentos em startups de cibersegurança crescem 145% em 2021

Startup atende mais de 2 mil produtores

Nos últimos seis meses, a Culte recebeu mais de R$ 15 milhões em solicitações de empréstimos, sendo que 70% dos agricultores requerentes nunca tiveram acesso a crédito. Atualmente, a startup atende mais de 2 mil produtores.


“Precisamos impulsionar o agronegócio familiar brasileiro. O sistema bancário tradicional não é capaz de suprir com recursos financeiros subsidiados e tecnológicos de maneira abrangente e no período adequado”, afirma Rugeri.


A tokenização possibilitará que milhares de agricultores familiares tenham acesso direto a consultores técnicos e fornecedores de insumos, implementos, equipamentos e novas tecnologias agrícolas capazes de melhorar a produtividade e o padrão na produção, diz a startup. “Com o valor dos tokens, vamos comprar suprimentos para um grupo de agricultores. Assim, esperamos conseguir preços melhores, enquanto os agricultores também podem vender diretamente seus produtos e comprar o que precisarem sem intermediários”, reforçou Rugeri.


Pelo lado do comprador, que pode ser uma pessoa física ou jurídica, o uso da cultecoin pode dar mais agilidade em encontrar variedades de produtos com fácil verificação da procedência, além de ter a opção de compra com entrega futura programada.


O desenvolvimento da criptomoeda foi na BEP-20, token padrão da rede Binance Smart Chain. O lançamento será no dia 13 de setembro.

Autorreforma e a inovação na economia

O PSB defende a adoção de um vigoroso programa de apoio à inovação e à economia criativa. Segundo os socialistas, esses são elementos indispensáveis desse planejamento, pois estão presentes tanto no renascimento criativo da indústria que precisa de inovação tecnológica, como nos serviços, na comunicação e no marketing.

“Tomar como eixo estratégico de desenvolvimento, a dualidade inovação e a economia criativa podem pavimentar mais rapidamente o caminho do Brasil para a modernidade com uma economia de maior complexidade.” Autorreforma PSB

O partido afirma em seu livro de teses que a inovação e a economia criativa podem e devem constituir-se em alternativas de desenvolvimento para o Brasil.

“A economia criativa não é apenas mais um ramo da economia que reúne uma série de atividades altamente produtivas, mas, sim, uma estratégia de desenvolvimento, que pode possibilitar ao Brasil uma inserção soberana na economia globalizada e nas novas cadeias de valor do mundo moderno, se conseguir uma razoável sofisticação produtiva.” Autorreforma PSB

Com informações do Valor Investe

1 visualização0 comentário