Socialista estimula economia criativa no Distrito Federal

Atualizado: 20 de jan.


Presidente do PSB no Distrito Federal (DF), Rodrigo Dias. Foto: Arquivo pessoal

Por Mariane Del Rei, Socialismo Criativo


Para driblar a crise na economia brasileira, micro e pequenos empreendedores estão encontrando na internet iniciativas que fomentam a economia criativa e auxiliam a se manterem no mercado. Um exemplo dessas iniciativas é o movimento Ajude o Pequeno.


Quem faz parte dessa ação é o presidente do PSB no Distrito Federal (DF), Rodrigo Dias. O projeto, que pertence ao instituto brasiliense “A Ponte”, é sem fins lucrativos e surgiu com o objetivo de ajudar os pequenos negócios ao longo da crise que enfrentamos no Brasil.


Para isso, o movimento criou um grande ecossistema colaborativo entre aqueles que precisam de ajuda e os que estão dispostos em ajudar. Pensando nisso, o Ajude o Pequeno criou uma plataforma especial com conteúdos diversos de marketplace. Assim, o empreendedor pode se qualificar e ainda ficar conectado aos seus clientes.


Quando ele se cadastra na plataforma, tem acesso a videoaulas de especialistas sobre diferentes temas, como vendas online, finanças para negócios, marketing, delivery e empreendedorismo.


O projeto possui três eixos principais: divulgação, capacitação e apoio financeiro a micro e e pequenos empreendedores. Cada um dos eixos será desenvolvido com os profissionais voluntários do instituto e construído junto aos empreendedores participantes.


Na parte financeira, será realizado um financiamento coletivo pelo Instituto A Ponte e mobilizado virtualmente e presencialmente, em divulgação pelas redes sociais e pelas ruas, bares, restaurantes e cafés do DF, que a cada R$ 400 arrecadados uma iniciativa será beneficiada. Esse dinheiro poderá ser utilizado para investimento nos negócios das pequenas iniciativas cadastradas. A escolha das iniciativas beneficiadas se dará por votação aberta pelas redes sociais da Ponte.


Na parte de capacitação, Ajude o Pequeno fará encontros quinzenais com as iniciativas, oferecendo mini cursos nas áreas de vendas, de como montar o seu negócio e como potencializar suas ações vias redes sociais.


Economia criativa como estratégia de desenvolvimento nacional


A economia criativa não é apenas mais um ramo da economia, que reúne uma série de atividades altamente produtivas, mas, sim, uma estratégia de desenvolvimento, que pode possibilitar ao Brasil uma inserção soberana na economia globalizada e nas novas cadeias de valor do mundo moderno.


O Socialismo Criativo não inclui apenas a economia criativa, mas a inovação no seu sentido mais amplo, a sustentabilidade ambiental e o empreendedorismo, como uma das novas formas de organização do trabalho, e as novas formas e metodologias de organização social e política.


O PSB defende o fortalecimento das atividades ligadas à economia criativa e ao empreendedorismo, especialmente pelo fato de que esses segmentos propiciam mais oportunidades de desenvolvimento e emancipação do que as atividades tradicionais, vinculadas ao comércio, indústria e agricultura.


Leia também: Economia Criativa: Governo do ES fortalece empreendedorismo inovador


O partido também incentiva a criação de um Fundo Misto de Desenvolvimento para a Economia Criativa, dedicado exclusivamente a viabilizar a participação financeira e o apoio tecnológico aos empreendimentos inovadores de pequeno, médio e grande portes, visando torná-los mais competitivos nos mercados nacional e global.


O PSB ainda propõe a criação de um marco legal – lei nacional da economia criativa -, que deverá abranger e regulamentar, por meio de estímulos e simplificações, os aspectos pertinentes às áreas tributária, previdenciária, alfandegária e de propriedade intelectual, mediante o reconhecimento das especificidades dos empreendimentos criativos.


Além disso, o PSB apoia o desenvolvimento de políticas públicas que possibilitem ao jovem a aquisição de renda, por meio de iniciativas como o empreendedorismo jovem, em especial, nas novas áreas surgidas com o desenvolvimento da sociedade do conhecimento, e, em particular, para a juventude das periferias urbanas, onde predomina a juventude negra.

6 visualizações0 comentário