• psb40df

PSB lança pré-candidatura de Rafael Parente ao governo do Distrito Federal


Rodrigo Dias, presidente do PSB-DF, Rafael Parente, pré-candidato ao governo do Distrito Federal pelo PSB-DF, Carlos Siqueira, presidente Nacional do PSB, e o ex-governador Rodrigo Rollemberg. (Imagem: Humberto Pradera)

Por, PSB Nacional

O PSB lançou, na manhã desta terça-feira (26), a pré-candidatura do educador e ex-secretário de Educação do DF, Rafael Parente, ao governo do Distrito Federal. Além do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, o evento contou com a presença do ex-governador do DF Rodrigo Rollemberg, do líder da Minoria na Câmara Federal, Marcelo Freixo (PSB-RJ), do presidente do PSB-DF, Rodrigo Dias, de deputados distritais, lideranças de outros partidos do campo popular – PT, Rede Sustentabilidade, PV e PCdoB – e militantes do PSB.

Devido à preocupação com a pandemia, a presença foi limitada e o evento foi transmitido pelas redes sociais. A gerente executiva na Fundação João Mangabeira, Márcia Rollemberg, saudou os participantes em nome da direção da organização. A cerimônia contou com o anúncio da chamada “agenda itinerante”, ação que buscará soluções para os problemas do DF e terá a participação de todos os segmentos sociais na elaboração do plano de governo. Também foram anunciadas iniciativas para discussões e reflexões com a população, como o programa “Papo com Parente” e as ”Rodas de Conversa Temáticas”, que percorrerão todas as regiões administrativas do DF.

Em sua fala, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, afirmou que o partido está de braços abertos para receber Parente e afirmou que é importante que a eleição no DF seja ganha “para implantar uma nova forma de fazer política na capital, assim como necessário é fazê-lo no resto do país” e consolidar um projeto de ciência, tecnologia e inovação, desenvolver o turismo e criar milhares de empregos.

Siqueira também explicou que partidos são fundamentais, mas é preciso ir além e “reunir pessoas de diferentes segmentos sociais, que pensem o DF numa perspectiva de desenvolvimento econômico, pois é essencial desenvolver riqueza, mas também o desenvolvimento da cidade como um todo”.

“Toda questão nacional tem um pé no local e a nossa questão nacional é a derrota do fascismo, da direita, de todos aqueles que têm nessa perspectiva da ignorância, da negação da ciência e do machismo a entrega do país. Não podemos permitir isso, e é necessária grandeza para unir as forças políticas que queiram a mudança e não apenas ganhar eleições”.

O educador Rafael Parente afirmou que o lançamento de sua pré-candidatura é um dos momentos mais importantes em sua vida e que não se pode normalizar a crise política vivida no país e no Distrito Federal.

“Não podemos achar que estamos vivendo uma crise qualquer, esse é o pior momento da história da democracia recente e um dos piores da história do país. Não podemos achar que 600 mil vidas (perdida pela Covid-19 no Brasil) é um número qualquer e nem normalizar os absurdos que estão acontecendo”, disse.

Parente destacou que os partidos do campo progressista precisam se unir e não podem fugir de sua responsabilidade de defender a democracia e as pessoas. Segundo ele, essa será sua missão de campanha. “A gente não pode se dar ao luxo de ficarmos nos nossos quadradinhos achando que vamos resolver de forma individualista. Temos que ter responsabilidade de união de todo o campo progressista e isso vai nos exigir energia, nossa vontade, nosso tempo, nossa inteligência. E nós vamos enfrentar esses projetos fascistas tanto a nível federal quanto a nível local”.

“Eu preciso fazer alguma coisa com a minha raiva, a minha indignação, mas também com o meu potencial e eu preciso realizar essa missão de ajudar na transformação social da realidade do Brasil e, principalmente, começar aqui dentro de casa, no Distrito Federal. E eu tenho certeza de que nós vamos conseguir, nós vamos vencer”, finalizou.

O presidente do PSB-DF, Rodrigo Dias, reafirmou a relevância do legado do governo socialista para o Distrito Federal, entre melhorias urbanas e programas e ações voltadas para a melhoria das condições de cidadania da população mais humilde.

“No nosso governo mostramos o nosso respeito por esta capital e por seu povo, com uma gestão participativa, responsável e competente, e agora estaremos de novo nas ruas para dialogar com cada cidadão e cidadã e construir juntos um programa inovador e progressista para o DF”, disse Dias.

O ex-governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, desejou sorte ao pré-candidato Rafael Parente e defendeu a união progressista nos planos nacional e local na defesa de dois objetivos: a defesa e o aprofundamento da democracia e o combate à pobreza e a redução das desigualdades sociais.

“Sobram motivos para que possamos nos unir em defesa do Brasil e de Brasília. Não podemos admitir, no plano federal, um presidente fascista que vem desmontando o Estado, o serviço público, a memória e o destino dos brasileiros. A cada dia ele supera a definição de fundo do poço. E no plano local, não é muito diferente. Basta andar pelas ruas do DF para perceber o que diz o IBGE, um dado vergonhoso, de que na unidade da Federação que reúne as melhores condições financeiras do país foi onde mais aumentou a pobreza nos últimos anos”, criticou.

Rollemberg lembrou o legado de sua última gestão como governador do DF com pautas em defesa das pessoas mais vulneráveis e necessitadas. Como exemplo citou o fechamento do segundo maior lixão a céu aberto do mundo, na cidade Estrutural, e o remanejamento dos catadores de recicláveis para galpões estruturados com Equipamentos de Proteção Individual e recebendo remuneração justa, além de oferecer moradias a esses trabalhadores.

“O nosso governo é a antítese desse que está aí porque nós cuidamos daqueles que mais precisavam. Enquanto esse governo faz crescer a pobreza e a miséria, nós fizemos um governo reconhecidamente sério”, destacou.

Assessoria de Comunicação/PSB Nacional

33 visualizações0 comentário