PSB-DF nas Eleições 2022: Lucas Luz, cuidado com o próximo e amor pela política


(Imagem: Thiago Cruzl)

O PSB-DF promove, ao longo do segundo semestre de 2021, uma série de entrevistas com futuros pré-candidatos e pré-candidatas das eleições de 2022 para divulgar o trabalho e a luta deste grupo comprometido com a cidade e com a população do DF.


Entre estes militantes está Lucas Luz, um jovem de 23 anos, estudante, jornalista, voluntário, gay, ativista social e dos direitos da comunidade LGBTQIA+. Desde a época de escola, se posicionava de maneira incisiva em debates e não demorou a participar de grêmios estudantis e outros movimentos, onde explorou a comunicação na linha de frente das atividades culturais.


Lucas se declara um jovem com muita fé e, por ela, afirma ter iniciado seus trabalhos voluntários, atuando nas áreas sociais, culturais e educacionais. Há cerca de quatro anos oferece apoio emocional disponível 24 horas por dia, sendo essa uma de suas bandeiras, a saúde mental.


Apesar da pouca idade, Lucas carrega uma experiência profissional ampla e, agora, pretende alçar novos caminhos pela política partidária e o Legislativo. Segue abaixo um pouco de como pensa e das lutas desse militante aguerrido que faz parte do time PSB-DF para as Eleições 2022.



PSB-DF: Conte um pouco sobre sua trajetória. Quais momentos de sua vida foram mais determinantes para que ingressasse em um partido político e em que momento decidiu ser candidato?

Lucas: Desde muito pequeno, com 9 anos, participo de comícios eleitorais e já ajudava na campanha de alguns candidatos próximos. Sempre estive envolvido em rodas de conversas, debates e no corpo a corpo com a população. Acredito que é preciso ouvir a voz de quem sente, de quem sabe o que precisa melhorar em sua rua, em sua cidade, e ouvir com atenção. O meu desejo em ajudar é o ponto primordial. Foi o que me levou a tomar essa decisão de ser candidato, uma missão de vida.

Um dos momentos mais importantes e que me fez iniciar a pré-candidatura foi quando uma mulher, que participava de uma ação social realizada por um dos meus trabalhos voluntários, me disse, “Tudo o que eu queria era ver minha rua asfaltada, meus filhos em uma escola pública de qualidade e uma saúde pública ao qual eu pudesse contar com rapidez", essa fala me trouxe uma grande reflexão e a certeza de que era possível ajudar a mudar esse quadro.


Ser Pré-Candidato a deputado distrital é uma forma de levar “luz” para a população do Distrito Federal. É esclarecer todas as dúvidas, é usar a comunicação como um meio poderoso e transformador. É cumprir uma missão de vida, servir!

PSB-DF: Hoje você diria que suas principais pautas são?

Lucas: Saúde mental, educação pública de qualidade, fortalecimento da Cultura em nossa cidade, segurança e defesa dos direitos LGBTQIAP+.

PSB-DF: Como você tem se preparado para as eleições? Acha que as novas regras eleitorais que passam a valer no próximo ano ajudam ou atrapalham os candidatos?

Lucas: Tenho me preparado há 4 anos, uma campanha se faz com tempo e planejamento. Estou construindo minha equipe e o processo de financiamento coletivo.


Sobre as regras eleitorais, eu acredito que as mudanças que deixam o processo eleitoral mais claro sempre irão beneficiar os candidatos e a população. Para alcançar o quociente acima de 10% do mínimo vou me empenhar em uma boa votação na eleição para ser contemplado com uma cadeira do partido.


PSB-DF: Em sua opinião quais principais desafios que a sua região enfrenta?

Lucas: Em primeiro lugar, Ceilândia precisa muito de uma organização urbanística para dar acesso à Cultura. É preciso deixar visível as ações, de uma forma positiva, em todos os pontos. A Cultura em nossa cidade clama por mais atenção, e é exatamente a atenção necessária que pretendo dar. E também um cuidado maior com a população do Sol Nascente e do Pôr do Sol, principalmente com o avanço das obras necessárias e a criação de novos de pontos culturais.


A segurança também é uma questão que quero mergulhar. É preciso que ocorram mais rondas e ações de conscientização por meio da Polícia Militar, da Defesa Civil e do DF legal. A população precisa se sentir segura na cidade com o maior número de habitantes no Distrito Federal.

Na educação são necessárias ações e projetos que deixem a comunidade e os responsáveis mais integrados, além da valorização dos profissionais da educação e o desenvolvimento educacional das crianças.

Já na área da saúde mental considero fundamental o acesso a tratamentos e acompanhamentos na rede pública. Estratégias por grupos que atendam suas prioridades.


Por fim, sigo atuando na luta contínua da comunidade LGBTQIAP+, fortalecendo os avanços e elaborando políticas públicas que defendam a vida e o direito das pessoas serem quem são.

PSB-DF: O PSB tem atuado com destaque como grande opositor do governador Ibaneis, inclusive com ações judiciais contra o chefe do Executivo e o GDF. Por outro lado, o governador, se justifica afirmando que seu mandato foi interrompido pela pandemia e diz que "não deve nada". Em sua opinião, quais foram/são os principais erros de Ibaneis durante a gestão da pandemia?

Lucas: Acredito que um dos principais erros da gestão do governador Ibaneis foi ter, em alguns meses de pandemia, sido influenciado para o lado do atual presidente da República e de suas propostas mirabolantes de conter o avanço da Covid-19, mesmo tendo o governador iniciado rapidamente o combate à pandemia no Distrito Federal. A questão da demora em imunizar os grupos prioritários também influenciou no aumento das internações. Muitos imunizantes guardados para a segunda dose e a população precisando da vacina. A capital do Brasil tinha tudo para ser referência na questão de saúde e, principalmente, em relação à pandemia. Vale citar também, a má gestão de sua Secretaria de Saúde também envolvida em alguns escândalos como o do IGES-DF.

PSB-DF: Além da Saúde, que outros problemas o partido identifica na gestão atual?

Lucas: A falta de gestão e organização com o retorno das aulas no Distrito Federal. A educação clamava por um plano de retorno às aulas, ao qual foi apresentado em cima da hora e com algumas falhas, principalmente na questão logística da vacinação dos professores e servidores. O básico faltou, como a alimentação adequada para os alunos, assim prejudicando o retorno real de algumas escolas.

Ressalto que não sou a favor do retorno presencial nesse momento delicado ao qual passamos, sem a pandemia estar totalmente controlada.

PSB-DF: Qual sua avaliação do governo Bolsonaro até o momento?

Lucas: Um governo que recusa vacina, não respondendo mais de 90 e-mails que tinham como objetivo salvar vidas e tornar o país vitrine de vacinação para o mundo, só pode ser chamado de genocida, pois, é cúmplice e responsável pela morte de vários brasileiros devido à COVID-19. Sou #ForaBolsonaro


PSB-DF: O DF elegeu Bolsonaro com 70% de votos em 2018. Acha que essa tendência de voto na direita se mantém em 2022? Como atingir, estando em um partido de esquerda, esse eleitorado mais "conservador"?

Lucas: Não acredito que ele mantenha essa quantidade de votos, assim como milhões de brasileiros arrependidos pelo país. A popularidade em queda do presidente demonstra isso.

Porém, acredito que o diálogo é o caminho para todas as vias. Se mantivermos isso, o respeito permanecerá e conseguiremos espaço nesse eleitorado “conservador” para seguirmos na luta pela evolução do país, diminuindo a desigualdade social.

PSB-DF: Qual mensagem você deixaria para conscientizar as pessoas da importância do voto consciente e da participação política?

Lucas: Falar é um ato político, se posicionar, buscar, conhecer, ouvir e se permitir fazer parte do processo de construção do nosso país é um ato político. O voto é uma oportunidade de escolha, ao mesmo tempo que você tem a opção de mudar um país, você tem a escolha pessoal de participar, votando em quem se identificou.


O poder de mudar é nosso, coletivo. Mas a escolha consciente é muito pessoal. Que possamos ficar mais atentos aos candidatos, analisando a trajetória, as propostas e principalmente a ética dos candidatos. É preciso ter sensibilidade e identificar o que achamos que pode mudar a vida dos brasileiros.

Max Lucado em seu livro “Você é especial” diz que "as marcas só ficam se você permitir que elas fiquem". Tendo isto em mente, desejo que, juntos, possamos abandonar a velha política e nos permitir criar novas marcas na história do Brasil. Assim voaremos juntos!



Você pode acompanhar o trabalho desenvolvido pelo ativista e militante Lucas Luz por meio de suas redes sociais:


Instagram: @lucasluzbsb

Facebook: Lucas Luz

Twitter: @lucasluzbsb

YouTube: Lucas Luz

E-mail: lucasluzbsb.2022@gmail.com

138 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo