PSB-DF nas Eleições 2022: Antonio Oliveira, espiritualidade e cidadania



Antonio Oliveira é mais conhecido como Pai Antonio. Sacerdote, ele integra o Movimento de Comunidades Tradicionas de Terreiro em Brasília e na Região Integrada de Desenvolvimento Econômico (RIDE), com foco na região leste do Goiás.


Ele atua com destaque no combate à miséria extrema e na luta pelos direitos da população em estado de fragilidade social. É defensor da cidadania como instrumento de libertação e da valorização da identidade. Como ator, integrou projetos na TV, rádio e no teatro, além de trabalhar na elaboração e execução de projetos culturais. Como historiador, ministra palestras e registra experiências e saberes ancestrais.


Leia também: PSB-DF apresenta futuros pré-candidatos para 2022


Pai Antonio carrega uma experiência política que surgiu quando ainda morava em sua cidade natal, Rio de Janeiro. E, agora, iniciou sua trajetória como pré-candidato do Partido Socialista Brasileiro do Distrito Federal para lutar pelo que acredita.


O PSB-DF promove, ao longo do mês de agosto, uma série de entrevistas com futuros pré-candidatos das eleições de 2022 e outras lideranças políticas para divulgar o trabalho e a luta deste grupo comprometido com a cidade e com a população do DF.


- Quais momentos de sua vida foram mais determinantes para que ingressasse em um partido político e em que momento decidiu ser candidata (o)?

Pai Antonio: Entrei no movimento político no Rio, por retorno de Leonel Brizola do exílio, assumindo um papel de mobilização na transformação do sistena politico da época, participando de alguns movimentos relacionados à condução de direitos de cidadania. Durante as décadas, muitas lutas e participações em movimentos e projetos voltados a ações afirmativas, na formação e informação a população em condição de risco social. Diante de tantas ações desconstrutivas, os ataques à condição cidadã, as políticas confusas que não atendem a população, a falta de espaço de fala e decisão, optei por fazer parte do quadro político e disponibilizar meu nome para uma candidatura ao pleito eleitoral, assim, caso tenha a aceitação pública como representante, quero contribuir com o poder de decisão e ter voz audível pelo poder representativo.


- Hoje você diria que suas principais pautas são?

Pai Antonio: A condição e garantia dos direitos à cidadania e o combate à miséria que assola nossa sociedade. Desta forma, é preciso buscar a execução de políticas voltadas ao enfrentamento as situações de fragilidade social, da educação desde a primeira infância, da saúde, da segurança pública, ou seja, da condição básica de formação sócio-cultural e as políticas de continuidade das ações.


- Como você tem se preparado para as eleições? Acha que as novas regras para eleitorais que passam a valer no próximo ano ajudam ou atrapalham os candidatos?

Pai Antonio: Acredito que poderemos nos adaptar, porém é preciso mais responsabilidade em ouvir as necessidades e condições reais de nossa sociedade. Entende-se que as regras são pensadas de forma a atender as demandas de grupos oligárquico e de grande porte, colocando o cidadão comum candidato como montante, e em muitos casos como um preencher de vagas para atender exigências.


- Em sua opinião quais principais desafios que a sua região enfrenta?

Pai Antonio: Santa Maria é uma jovem cidade, com um espantoso crescimento, principalmente por conta dos condomínios, seu desenvolvimento sustentável esbarra na falta de representação político-administrativo . Mesmo com um hospital e seis pontos de atendimento, ainda é preciso articulação de gestão para o atendimento ao público. A educação, esporte e lazer não atendem as necessidades da população e centros de convivência e atendimento às fragilidades sociais e psicológico, além do chamamento da participação popular nas atividades de extensão as ações afirmativas.


- O PSB tem atuado com destaque como grande opositor do governador Ibaneis, inclusive com ações judiciais contra o chefe do Executivo e o GDF. Por outro lado, o governador, se justifica afirmando que seu mandato foi interrompido pela pandemia e diz que "não deve nada". Em sua opinião, quais foram/são os principais erros de Ibaneis durante a gestão da pandemia?

Pai Antonio: A função do gestor é encontrar soluções para as demandas que se apresentam, consequentemente amenizar ou sanar qualquer tipo de dificuldade, incluindo uma pandemia. O grande problema do sistema político é a falta de intimidade com a realidade de sua população. Quando pensam em uma demanda e com olhar de quem não usa o sistema público, e acabam por pensar de forma retundante e generaliza a problemática de forma a tornar confusa e até ineficiente as ações. Algumas situações não ficaram muito claras e as secretarias não elaboraram planos de ação para atendimento a população e nem sequer planejamento para durante e pós pandemia, em questões relacionadas ao retorno das atividades da população, seja na educação, trabalho, lazer e outros. É visível o aumento da população de rua, o descaso com o meio ambiente e a saúde da qualidade de vida . Resumindo, não existe interesse em atender as necessidades da população com ações afirmativas ao bem estar e a segurança.


- Além da Saúde, que outros problemas o partido identifica na gestão atual?

Pai Antonio: Com a falta de gestão inteligente ele deixa de construir ações afirmativas para o bem estar e segurança da população.


- Qual sua avaliação do governo Bolsonaro até o momento?

Pai Antonio: A atuação do atual presidente é desastrosa e causou desestrutura política e administrativa em todo o país.


- O DF elegeu Bolsonaro com 70% de votos em 2018. Acha que essa tendência de voto na direita se mantém em 2022? Como atingir, estando em um partido de esquerda, esse eleitorado mais "conservador"?

Pai Antonio: Entendo que esse não é um eleitorado conservador e sim oportunista. Temos uma população comprometida com o serviço público, incluído as forças armadas e os três poderes, além de políticos comprometidos com seu interesses e não da população. E temos uma parte da população que trabalha para esses. Ou seja, um interesse oportunista de suas próprias necessidades.


- Qual mensagem você deixaria para conscientizar as pessoas da importância do voto consciente e da participação política?

Pai Antonio: Quando o seu direito também é o meu, lutamos por nosso direito. Quando só eu luto por nossos direitos, partilhamos a derrota. Avaliar bem um candidato é ter a certeza e garantia de uma boa representação.

90 visualizações0 comentário