PSB comemora 74 anos em meio a processo inédito de Autorreforma


(Imagem: Reprodução)

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) comemora neste dia 6 de agosto 74 anos. Com a mesma coragem e ousadia dos fundadores, como Hermes Lima, João Mangabeira, Antônio Cândido e tantos outros, o partido se propõe a enfrentar a profunda crise do sistema político atual realizando um processo inédito em sua história: a Autorreforma.

“O PSB já nasceu como uma proposta inovadora em 1947 ao associar os ideais de igualdade e liberdade, quando de um lado o liberalismo negava a primeira, e de outro ao socialismo real faltava a segunda.” Presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira

Nesses 74 anos, afirma o dirigente socialista, o PSB foi coerente com sua ideologia ao empunhar as bandeiras corretas em defesa da democracia, da soberania e da justiça social.

“Foi assim entre 1947 e 1964, quando o partido lidera a campanha do “petróleo é nosso”, enfrenta o autoritarismo e chega a ser colocado na ilegalidade no longo período da ditadura militar”, relembra Siqueira.


Vencido o regime autoritário, em 1985, o PSB se reorganizou para ajudar a reconstruir a democracia brasileira, com atuação destacada na Constituinte de 1987, e seguiu ao lado do povo contra as políticas neoliberais dos governos Collor e Fernando Henrique Cardoso.

“Com o impeachment de Fernando Collor, o PSB teve participação importante no governo de união nacional de Itamar Franco, à frente das pastas da Saúde e da Cultura, e dando sua contribuição para a superação daquele momento crítico”, recorda o presidente nacional do PSB.


Mais uma vez, em 2014, o PSB marca sua história com um projeto inovador para o Brasil. Liderado por Eduardo Campos, confirma a plena maturidade política e eleitoral, apresentando um projeto moderno e coerente com sua história, atrelada aos interesses nacionais e populares.


Desde então, o PSB tem se mantido na linha de frente da oposição aos governos Temer e Bolsonaro, na sua linha histórica de luta pela legalidade, democracia e desenvolvimento do país.

“O socialismo, como ideologia e prática que corresponde à expectativa humanista de justiça social, segue vivo e animando a luta de homens e mulheres que não se conformam com uma sociedade que reserva as melhores oportunidades a muito poucos e entrega apenas as sobras à maioria.” Carlos Siqueira

Autorreforma do PSB

Em 2019, em meio à maior crise do sistema político brasileiro, com a eleição de Jair Bolsonaro e de seu projeto autoritário, o PSB ousa novamente dando início ao processo de Autorreforma.



“O nosso sistema político está necrosado, boa parte da classe política renunciou ao exercício da política, deixou de oferecer as soluções para os problemas reais da população e para a superação dos graves problemas estruturais do país. O resultado disso é a perda de confiança das pessoas na política, o que é gravíssimo para os partidos e para a democracia”, analisa Siqueira.


Leia também: 8º Debate da #Autorreforma do PSB – Cultura e Diversidade


Siqueira explica que as propostas do partido vão no sentido de termos um projeto nacional de desenvolvimento “que leve em conta os novos fatores da atual revolução tecnológica que mudou o paradigma econômico, os modos de produzir e até as relações sociais”.


As mais de 500 teses começaram a ser discutidas por todos os filiados em novembro de 2019, no Rio de Janeiro, durante a Conferência Nacional. O objetivo é, num processo amplo e democrático, atualizar o manifesto e o programa partidários, ambos de 1947, e propor um projeto nacional para o país.


Desde então, a autocrítica está sendo realizada por meio de amplos debates democráticos e virtuais em todo o país, devido à pandemia da Covid-19. A Comissão de Sistematização da Autorreforma está coletando e examinando as sugestões, comentários e/ou críticas feitas pelos filiados, pela Fundação João Mangabeira (FJM), por suas coordenações estaduais, pelos segmentos nacionais, e por diversos setores da sociedade.


A atualização do documento “Propostas de Teses para o Novo Programa do PSB” se dará com o lançamento da quinta edição do livro de teses.


Com foco na redução das desigualdades sociais e na geração de oportunidades iguais para toda a população brasileira, as propostas do PSB em sua Autorreforma se baseiam em cinco eixos temáticos prioritários. São eles: reforma política; desenvolvimento, cultura e meio ambiente; políticas sociais; economia; e Socialismo e Democracia.

Debates e Congressos do PSB

Entre 19 de abril e 26 de julho deste ano, foram realizados oito debates virtuais com os temas: “Socialismo criativo e o partido que queremos”; “Brasil: Potência Criativa e Sustentável”; “Amazônia 4.0 (Amazônia Azul e Sustentabilidade)”; “Revolução criativa na educação – (diálogo com Eixo 4)”; “Reformas do Estado e política e o Novo Federalismo”; “Economia criativa como estratégia de desenvolvimento e Cidades Criativas”; “Renascimento criativo da indústria”; e “Cultura e Diversidade”.


O XV Congresso Nacional, que será o Congresso Constituinte da Autorreforma, ocorrerá nos dias 28, 29 e 30 de abril de 2022. O encontro irá debater e deliberar sobre: a Autorreforma do PSB e o Novo Programa do Partido; O projeto político do PSB e as eleições de 2022; Eleição do Diretório Nacional, Conselho de Ética e Conselho Fiscal (titulares e suplentes).


Entre 25 de agosto de 2021 a 20 de fevereiro de 2022 serão realizados os congressos municipais, e os estaduais, de 30 de setembro de 2021 a 30 de março de 2022.

Já em preparação para as eleições de 2022, o PSB irá procurar apresentar candidaturas capazes de “inovar a política e renovar o partido”, que sejam identificadas com as novas teses do Partido na luta contra as desigualdades de gênero, raça e religiões. Os candidatos devem ser recrutados em todas as áreas profissionais, científicas, empresariais e nos movimentos e redes sociais.


Com informações do PSB Nacional

2 visualizações0 comentário