“Livreto da discórdia” da Fundação Cultural Palmares


(Imagem: Divulgação)

Por Michelle Portela, Socialismo Criativo


Parlamentares da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados (CCULT) localizaram um livreto que classifica itens do acervo da Fundação Cultural Palmares como conteúdo ‘militante’. A descoberta foi feita durante inspeção realizada na manhã desta quarta-feira (30), na sede do órgão, em Brasília. Agora, as deputadas pedem o agendamento de uma vistoria técnica e inventário de todo o acervo do órgão.


Leia mais: Justiça impede expurgo de acervo da Fundação Palmares


Participam da comitiva, museólogos, restauradores, a presidente da comissão, deputada Alice Portugal (PCdoB-BA); as deputadas que propuseram a visita, Benedita da Silva (PT-RJ) e Erika Kokay (PT-DF); além de Jandira Feghalli (PCdoB-RJ) e Fernanda Melchionna (Psol-RS).


A presidenta da CCULT, Alice Portugal, comentou a descoberta da comitiva.

“Achamos um livreto que é dono da discórdia, quando eles selecionaram títulos bibliográficos classificados em três tipos: militante, sem relação com acervo, do acervo.” Alice Portugal

O objetivo da diligência da comissão era averiguar as condições estruturais da nova sede, bem como a preservação e conservação integral de todo acervo histórico/institucional da Fundação. As parlamentares foram recebidas pelo coordenador geral do Centro Nacional de Informação e Referência Negra, Marco Frenette, e Rodrigo Hosken, coordenador geral de Gestão Interna.

“Encontramos uma sede improvisada, sem projeto de restauração, com acervo em salas sem qualquer garantia de segurança para esse patrimônio”, ressaltou a parlamentar. “Um patrimônio riquíssimo da historicidade do negro no Brasil, infelizmente, colocado em risco.” Alice Portugal

Diante do cenário, as deputadas solicitaram aos coordenadores o agendamento, em cinco dias consecutivos, de uma vistoria técnica minuciosa a ser realizada por técnicos do Centro de Documentação e Conservação da Câmara dos Deputados, com acompanhamento de técnicos da Fundação Palmares.


O intuito é elaborar Relatório Técnico de Análise do Estado de Conservação do Acervo Institucional, para identificar possíveis agentes causadores de danos (físicos, químicos e biológicos) e o nível de comprometimento do material. Além disso, pedem o inventário de todo o acervo da Fundação Cultural Palmares.

Acervo foi transferido para local inadequado

Em 2020, a sede e todo o acervo documental museológico, documental e arquivístico da FCP se transferiram para um prédio da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), localizado em Brasília (DF), que hoje funciona como uma espécie de almoxarifado, tomado por infiltrações.

1 visualização0 comentário