Leila Barros quer debates sobre desafios e o futuro da educação no pós-pandemia


A senadora Leila Barros em sessão do Senado Federal em que comunicou o protocolo do requerimento 1.650/2021 que propoe debates sobre a educação - (Imagem - Agência Senado)

Em mais uma ação voltada para melhora da qualidade da educação no país, a senadora Leila Barros (PSB-DF) protocolou um requerimento no Senado Federal propondo debates sobre a educação do país em face da pandemia do coronavírus. Entre os objetivos das atividades, está o desenvolvimento de planos que atendam aos desafios surgidos com a crise sanitária no âmbito educacional e, também, de garantias para o funcionamento de Instituições como o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).


Leia também: Senado pode solicitar informações sobre sucessivas trocas no Inep


Segundo informações da Agência Senado, Leila pretende dividir os debates em dois painés para tratar de cada um dos temas separadamente. Em um momento seria abordada a atual situação da educação brasileira após um ano e três meses de pandemia, além das saídas para os problemas que serão enfrentados devido à precariedade ou inexistência do ensino público remoto e de diversos outros fatores sociais envolvidos. E, em outro debate, seriam tratadas as garantias para funcionamento destes órgãos de avaliação e pequisa, bem como os responsáveis pela fiscalização das políticas públicas de educação.


No texto do requerimento 1.650/2021, Leila se mostra preocupada com a atual situação e o provável futuro.


“A situação da educação no Brasil é extremamente preocupante. A atuação em prol de mecanismos de educação a distância é extremamente importante, e, tão mais efetiva e econômica, se fosse feita de forma centralizada. É fundamental, ainda, a construção de projetos de recuperação dos estudantes que tiveram perdas no processo educativo nesses dois anos letivos”, afirmou.

Entre os participantes, são sugeridos como convidados os elaboradores técnicos das políticas no Ministério da Educação e de três entidades nacionalmente reconhecidas que tratam de educação, ciência e tecnologia, além de representantes do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e da União Nacional dos Dirigentes municipais de educação (Undime).


Além dos presidentes do Inep e da Capes, ela sugere a participação de representantes de associações e de especialistas em avaliação educacional.


O requerimento ainda aguarda análise no Plenário do Senado.

Na luta pela educação


Leila Barros sempre teve como uma de suas prioridades a defesa da educação. Com a pandemia, manifestou-se diversas vezes vigilante à questões fundamentais como a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o funcionamento do Inep, institição responsável pela avaliação. No último mês, ela cobrou do Ministério da Educação esclarecimentos sobre a intensa troca no comando do Inep, que já está no quinto presidente desde o início do governo.


Além disso, após a divulgaçao do adiamento do Enem 2021 para o próximo ano, a senadora oficializou uma solicitação de pedido de informações ao ministro da pasta, Milton Ribeiro.



Com informações da Agência Senado e da Assessoria Leila Barros

9 visualizações0 comentário