Justiça mantém bloqueio das contas de Ibaneis, do prefeito de Corrente (PI) e Okumoto


Ibaneis Rocha e prefeito de Corrente em visita realizada ao Piauí em 2018 - (Imagem: Reprodução)


Uma decisão em segunda instância da justiça manteve a ordem de bloqueio das contas bancárias do governador Ibaneis Rocha, do atual e do ex-secretário de Saúde, Osnei Okumoto e Francisco Araújo, e do prefeito da cidade de Corrente, no Piauí, onde Ibaneis passou grande parte de sua infância.


Leia também: Sem vagas para vacinação de pessoas com comorbidades


O processo diz respeito a uma doação de milhares de Equipamentos de Proteção Individual (EPI's) como, máscaras e luvas, feita pelo GDF para o município piauiense.


A decisão da desembargadora Ana Cantarino foi emitida na noite de ontem (4) após análise de um recurso apresentado pelo governo do DF que tentou derrubar o bloqueio das contas que foi determinado em primeira instância. Esta primeira decisão, estipulou que fossem bloqueados R$ 106.201,44 mil das contas dos réus do processo, valor equivalente ao custo do material doado, e que serão usados para ressarcir os cofres públicos em caso de condenação.


Defesa


Em sua defesa o governo afirma que não houve ilegalidade na doação e que os trâmites foram realizados da forma correta pela Secretaria de Saúde. Além disso, o GDF afirma que ter enviado essa grande quantidade de material de proteção, mesmo durante a pandemia, não prejudicou o estoque de Brasília.


Leia também: Mesmo sem hospitais de campanha, Ibaneis flexibiliza medidas de isolamento


No texto do recurso negado o governo também afirma que a decisão inicial de bloqueio não considerou o "caráter humanitário e solidário das doações". Por fim, a desembargadora decidiu por manter o bloqueio por acreditar que não foram apresentados fundamentos técnicos e concretos que possam impedir o bloqueio do dinheiro.


Reações


O presidente do Partido Socialista Brasileiro do Distrito Federal (PSB-DF), Rodrigo Dias, comentou que acompanha o processo e que o partido socialista segue atento a esses e outros supostos atos duvidosos da atual gestão do DF. Ele também comentou as dezenas de depoimentos e reportagens que apontaram que, em alguns momentos, a rede pública de saúde sofreu com a falta de EPI's.


"Durante a pandemia, pudemos assistir diversos vídeos e ouvir vários relatos de profissionais da saúde pública do Distrito Federal que deixam claro a escassez e, em alguns momentos, a total falta de materiais de proteção. É inadimissível que o governador use o dinheiro dos impostos pagos pela população do DF em outro estado e deixe, quem aqui contribui, assim como, os nossos profissionais de saúde, sofrerem", afirmou ele.

O também socialista e ex-governador do DF, Rodrigo Rollemberg, se manifestou sobre a questão. Ele compartilhou em suas redes sociais a notícia do bloqueio das contas, juntamente com a frase "É só o começo".



7 visualizações0 comentário