Entrevista: Geralda Rezende, Secretaria de Mulheres do PSB-DF



Hoje, a série especial de entrevistas com os secretários dos segmentos do PSB-DF apresenta Geralda Resende, que está à frente da Secretaria Distrital de Mulheres do partido.


Geralda é professora aposentada da Secretaria de Educação do Distrito Federal e faz parte da zonal 3, que engloba as regiões de Taguatinga, Águas Claras e Vicente Pires. Ela se formou em Física na Universidade Federal do Goiás (UFG), onde iniciou sua jornada na política estudantil como presidente do Centro Acadêmico e, também, com atuação no Diretório Central de Estudantes (DCE). Desde sempre, atuou na defesa dos direitos das mulheres e na luta sindical.


PSB-DF: Como e quando você chegou ao PSB-DF?

Geralda: Me filiei ao PSB-DF, em 2011, a convite do Presidente do PSB na época e de alguns companheiros do DF e do PSB Nacional.


Desde que entrei para o partido, atuei na área dos Segmentos, participei do MPS, depois fui para o Segmento de Mulheres, onde atuo até hoje.



PSB-DF: Sobre a gestão PSB no governo de Brasília com a eleição de Rodrigo Rollemberg, quais avanços/medidas relativas às mulheres você destacaria?

Geralda: Trabalhei para a eleição do Governador Rollemberg desde o início da elaboração do Projeto de Governo, em 2012. Nessa época fiquei responsável pela pauta de Educação, coordenadora em 2012 e Secretária em 2013.


Tivemos inúmeros avanços, mas destaco o enfrentamento à violência doméstica. No período de 2015 a 2018, o número de feminicídios no DF caiu substancialmente tendo, infelizmente, voltado a crescer a partir de 2019, quando o DF registrou 33 casos.


PSB-DF: Quais são as ações que o segmento tem desenvolvido no DF?

Geralda: Como Secretária de Mulheres estamos responsáveis pela Formação Política das Mulheres, gerenciando os recursos do Fundo Partidário.


Esse ano estamos desenvolvendo projetos importantes, um deles é voltado para a Autorreforma do PSB, que está construindo um novo programa, renovando as diretrizes do partido e trazendo o conceito do Socialismo Criativo, que irá revolucionar a forma como a pessoas enxergam o socialismo no Brasil.


E um outro movimento é o “Zonais em Movimento”, uma parceria com a Fundação João Mangabeira do DF. Nesse projeto vamos levantar informações sobre todo o DF. Já estamos aplicando um questionário contendo questões sobre as políticas sociais que estão sendo desenvolvidas nas Zonais e a atuação das mulheres na política e na sociedade.



PSB-DF: O segmento já trabalha candidaturas?

Geralda: Tenho uma Proposta de um Mandato Coletivo para Deputada Federal, que poderei vir candidata. Além disso, temos várias mulheres já trabalhando com a intenção de se candidatarem em 2022.


PSB-DF: Atualmente, o PSB trabalha na sua "Autorreforma". Se houverem, quais mudanças neste programa serão mais significativas para as mulheres? Pensa em sugerir alguma mudança ou acrescentar algo?

Geralda: Estamos elaborando Propostas de Teses, construídas pelas Mulheres Socialistas da Região Centro-Oeste para as pautas de gênero da Autorreforma. Foi criado um grupo de trabalho com esse objetivo e, em breve, iremos consolidar nossas contribuições para o texto.


PSB-DF: Qual mensagem gostaria de deixar para as mulheres que estão querendo participar mais ativamente da política, principalmente na defesa dos direitos e proteção das mulheres em um partido político? Por que escolher o PSB-DF?

Geralda: Mulheres, venham participar da política, pois a política foi feita para todas as pessoas participarem e não somente para os homens. Nós mulheres que estamos no PSB, lutando pelos nossos direitos de participar ativamente da vida partidária, defendemos a paridade de gênero em todos espaços de poder e quanto mais companheiras estiverem conosco nessa luta, maior será a nossa capacidade de mobilização e inserção nos espaços.


Também quero reforçar que é muito importante a participação das militantes do PSB no segmento de mulheres, muitas são filiadas e não se aproximam do segmento.


Eu escolhi o PSB pois é um partido progressista e que tem avançado e se comprometido cada vez mais com as pautas de gênero, principalmente na representatividade das mulheres na Política.

19 visualizações0 comentário