Entrevista: Douglas Melo, Juventude Socialista Brasileira do DF




Douglas Melo, aos 26 anos, já acumulou diversas vivências políticas. Como primeira, ele lembra que participou das jornadas de junho de 2013 quando ainda era estudante no Ensino Fundamental. Hoje, como presidente da Juventude Socialista do PSB-DF, diretor de extensão da União Nacional dos Estudantes e integrante da direção do Diretório Acadêmico da Universidade de Brasília (UnB), ele já tem experiência o suficiente para entender qual papel quer exercer na política do DF.


PSB-DF: Como iniciou sua trajetória na política?

Douglas: Sempre me envolvi e tive interesse no debate político, desde o ensino fundamental. Após participar ativamente das jornadas de junho de 2013, resolvi procurar um outro espaço para militar e debater a política tanto no âmbito nacional quanto no DF, até que a convite do ex-presidente do PSB-DF, Daniel Cunha, resolvi conhecer o PSB e suas propostas para a eleição de 2014.



PSB-DF: Sobre a gestão PSB no governo de Brasília com a eleição de Rodrigo Rollemberg, quais avanços/medidas relativas à juventude você destacaria?

Douglas: Os avanços foram diversos, eu sempre gosto de destacar dois, um foi o FAC descentralizado, que gerou várias oportunidades para as pessoas que trabalham no setor cultural do DF, outra foi o fechamento do Lixão da Estrutural, que retirou milhares de trabalhadores da uma situação de insalubridade e falta de segurança no ambiente de trabalho.


Em relação a juventude eu destaco, os aulões para o ENEM e a expansão do Jovem Candango, gerando a primeira oportunidade de emprego para milhares de jovens em situação de vulnerabilidade.


PSB-DF: E quais ainda são os principais desafios para os jovens do Distrito Federal?

Douglas: Acredito que emprego é um dos maiores desafios que a juventude do DF enfrenta, hoje a falta de oportunidade no mercado de trabalho é nítida, a maior parte dos empregadores cobram uma experiência que boa parte da nossa juventude não tem. Outro desafio é o ingresso no ensino superior, acho que é muito necessário a criação de uma universidade distrital, para ampliar a educação pública no DF para além da UnB e ESCS.


PSB-DF: Pensa em se candidatar? Ou observa no segmento alguma potencial candidatura já se construindo?

Douglas: Não penso em ser candidato, hoje acredito que minha atuação partidária é mais necessária em outras dinâmicas partidárias, porém esse é um assunto aberto dentro da nossa juventude, sempre temos nossos candidatos, na última eleição tivemos como candidato da juventude o atual presidente do PSB-DF, Rodrigo Dias, então acredito que a juventude vai mais uma vez encontrar uma candidatura que a represente.


PSB-DF: Atualmente, o PSB trabalha na sua "Autorreforma". Se houverem, quais mudanças neste programa serão mais significativas para a juventude? Pensa em sugerir alguma mudança ou acrescentar algo?

Douglas: Penso que a Autorreforma do PSB é o partido se colocando como uma alternativa para o país, com um programa partidário moderno que conversa bem com as novas gerações. Acho que as questões da juventude são pautas muita das vezes transversais, permeia vários temas.

Acredito que temos que colocar em maior evidência a questão do genocídio da juventude periférica e como o partido acha que devemos atuar para combate-lo.


PSB-DF: Qual mensagem, convite, pensamento, gostaria de deixar para as pessoas que estão querendo participar mais ativamente da política e lutar pelos direitos dos jovens em um partido político? Por que escolher o PSB-DF?

Douglas: Minha mensagem é que vale a pena se filiar a um partido, é um espaço não só de debates, também é um espaço para formulação de ideias, além da construção de relações de amizade e companheirismo. O PSB-DF é um espaço de respeito onde todos, todas e todes podem ser ouvidos e isso faz a diferença em um partido.

24 visualizações0 comentário