• psb40df

Carlos Siqueira sobre PEC dos Precatórios: deputados do PSB devem votar contra


(Imagem: Reprodução PSB Nacional)

Em entrevista à Globonews nesta terça-feira (9), o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, fez um apelo aos deputados federais do PSB que foram a favor da PEC dos Precatórios, aprovada em primeiro turno na semana passada. Siqueira pediu aos parlamentares que revejam seus posicionamentos e votem contra “essa aberração eleitoreira de interesses escusos do poder Executivo com setores majoritários do Poder Legislativo”.


Siqueira reiterou, na entrevista, a posição contrária do partido contra a proposição. “Essa PEC dos Precatórios vai abrir espaço para gastos excessivos e reforçar o tal orçamento secreto, questionado pelo PSB no STF”.


Ainda durante a entrevista, o presidente do PSB destacou que, dos dez parlamentares que votaram a favor da PEC dos Precatórios, quatro devem deixar o partido no período da chamada “janela partidária”, período que ocorre seis meses antes do pleito eleitoral, por um prazo de 30 dias.

Siqueira envia carta aos deputados

Também nesta manhã, Carlos Siqueira enviou aos parlamentares do partido uma carta reafirmando a posição contrária do PSB à PEC dos Precatórios e pedindo que mudem seu posicionamento no segundo turno da votação.


“O Partido Socialista Brasileiro é totalmente contrário à PEC dos Precatórios, seja pela injustiça que promove contra milhões de brasileiros, seja por seus objetivos políticos implícitos”, afirma a carta.


No primeiro caso, “importa ressaltar que os beneficiários dos precatórios aguardam anos e até mesmo décadas em filas, para fazer valer direitos que tenham contra o Governo Federal”. Para Siqueira, é “completamente injusto, portanto, que tendo alcançado uma solução para suas reivindicações, sejam lançados novamente às filas, nas quais se verão obrigados a se sujeitar ao parcelamento de seus créditos”.


Na carta, na questão política, o presidente socialista afirma que a PEC representa uma “manobra destinada a abrir espaço no orçamento de 2022, com propósito evidente de permitir ampliação de gastos governamentais em ano eleitoral”.


“O cenário que se estabelecerá com a eventual aprovação da PEC dos Precatórios é totalmente contrário aos princípios da justiça defendidos pelo PSB e flagrantemente adverso à atuação da oposição ao governo, na qual o PSB se inscreve com todo o peso de sua história de mais de 70 anos”, afirma o documento.


Leia também: Rosa Weber nega pedido para suspender votação da PEC dos Precatórios na Câmara


Ao final, Carlos Siqueira solicita aos parlamentares favoráveis à PEC no primeiro turno que considerem a revisão do voto “de forma a se somar ao contingente de parlamentares que perseguem tanto a preservação e promoção da justiça, quanto a oposição a um governo que tanto mal tem feito ao país”.

1 visualização0 comentário