Carlos Siqueira analisa conjuntura nacional e federação partidária com segmentos

Em reunião com os secretários nacionais dos segmentos organizados do PSB, o presidente Carlos Siqueira analisou a conjuntura nacional, as possibilidades de criação de uma federação, e a importância do XV Congresso Constituinte da Autorreforma. Também ouviu demandas dos segmentos para este ano.

Siqueira abriu o encontro na manhã desta quinta-feira (3), em Brasília, e resumiu o andamento das discussões sobre a eventual criação de uma federação partidária entre PSB, PT, PCdoB e PV. “É importante discutirmos uma possível federação pois é uma realidade e ela poderá impactar a vida de todos, inclusive dos eleitores. Nós já tivemos duas reuniões, fizemos sugestões, recebemos propostas e estamos conversando”, resumiu o socialista.

Participaram do encontro os secretários nacionais Valneide Nascimento (Negritude), Joílson Cardoso (Sindical), Tathiane Araújo (LGBT), Dora Pires (Mulheres), Acilino Ribeiro (MPS), Luciana Trindade (Inclusão) e o presidente do PSB no DF, Rodrigo Dias.

Diante da possibilidade da formação de uma federação, Joílson afirmou que é necessário manter “posições claras” com as outras siglas. “Queremos derrubar Bolsonaro. As pesquisas mostram como suas ideias estão presentes na mente dos brasileiros. A fome e o desemprego estão batendo na porta do povo, temos que lutar contra isso”, analisou.

Já Acilino reforçou a importância e contribuição que o PSB tem a oferecer para a sociedade. “Nós temos os melhores planos de políticas públicas e temos que ter um ótimo plano de política de enfrentamento”, disse.

Tathiane Araújo agradeceu a autonomia dada aos segmentos e a Siqueira “por sua postura firme diante da necessidade de participação de todos na construção de um novo caminho da esquerda para retomada de um estado democrático que volte e melhore diálogo travado com os movimentos sociais”.

Dora afirmou que Siqueira vem dando personalidade ao partido e destacou a parceria entre a liderança nacional socialista e os segmentos. “Nosso presidente tem consciência social e comprometimento. Não sinto preocupação em relação a autonomia dos segmentos. O presidente Siqueira é firme em relação ao que discutimos dentro da militância e também fora do partido. A parceria que há entre o presidente e os segmentos nos deixa tranquilos, mas precisamos estar no seio de discussões, e não podemos abrir mão de estar nesse local”.

Valneide também comentou sobre a consolidação da estrutura dos segmentos sociais do partido: “Aqui temos direcionamento e organização. Não conheço um partido que tenha essa estrutura dos segmentos tão sólida”.

Luciana Trindade afirmou que a direção nacional tem apoiado todos os segmentos “sem distinção”. Assim como os outros participantes, a secretária apresentou um balanço do trabalho realizado nos últimos meses, o que, segundo ela, tem gerado interesse e inspirado outros partidos. “Não queremos participar de um capítulo, queremos estar presentes em todas as partes do livro”, afirmou, referindo-se ao processo da Autorreforma.

Federação Partidária

A federação consiste na união de dois ou mais partidos com estatuto e programa comuns registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Essa união atuará como se fosse um só partido antes e depois das eleições, porém, esse agrupamento não interfere na autonomia das siglas.

Ao contrário das coligações, pela lei aprovada no Congresso Nacional, as federações devem ter abrangência nacional e precisam ser formadas por partidos com afinidade programática. A terceira reunião com os presidentes dos quatro partidos está marcada para a próxima quarta-feira (9).

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo