Caminhoneiros bolsonaristas liberam rodovias, mas seguem concentrados


(Imagem: Socialismo Criativo)

Os caminhoneiros bolsonaristas liberaram as rodovias no início da tarde desta quinta-feira (9). A informação é do Ministério da Infraestrutura, com base em informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Segundo a pasta, porém, ainda há pontos de concentração em rodovias federais de 13 estados.


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que perdeu o controle do movimento antidemocrático que ele mesmo incitou, enviou mensagem de áudio no qual afirma que a ação “atrapalha a economia” e “prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres”. Ele também disse que se reuniria com representantes dos caminhoneiros.



Segundo entidades representativas da categoria, os atos são patrocinados por empresas ligadas ao agronegócio, o que configura o crime de locaute.

Interdições

Mais cedo, foram registrados pontos de interdição em, pelo menos, nove estados e 15 tinham manifestações.


Mais da metade das ocorrências ficam na região Sul do país, nos estados de Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Já as aglomerações ainda seguem nos estados da Bahia, Mato Grosso, Pará, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Goiás, Maranhã, Rio de Janeiro e Tocantins.


Na maioria dos locais, apenas carros pequenos, veículos de emergência e cargas de alimentos perecíveis tiveram o trânsito liberado pelos manifestantes.

Decepção’, ‘mensagem cifrada’ e ‘é Adnet!’

O áudio de Bolsonaro pedindo o fim dos bloqueios de rodovias pelo país provocou grande confusão em grupos de caminhoneiros bolsonaristas e apoiadores do presidente no WhatsApp, Telegram e redes sociais, de acordo com a BBC Brasil.


Alguns bolsonaristas que participam da paralisação se disseram “decepcionados” e “traídos”, enquanto muitos se recusam a acreditar que a voz seja de Bolsonaro, mesmo depois de o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, gravar um vídeo confirmando a autenticidade.


“É fake, mentira. Sairia até nas TVs e rádios”, disse um caminhoneiro, num grupo de WhatsApp dedicado a informações sobre a greve.


Um mensagem que circulou muito nos grupos bolsonaristas atribui o áudio de Bolsonaro a Marcelo Adnet, humorista famoso por fazer imitações de personalidades.


“ATENÇÃO. Recebi agora a informação de que o áudio dizendo ser do presidente na verdade é do ator globosta Marcelo Adnet, que denigre a imagem do nosso presidente com suas imitações ridículas. Repassem”, diz a mensagem, repassada em peso nos grupos do WhatsApp e Telegram.


Leia também: Bolsonaro anuncia reunião para encerrar locaute; Zé Trovão foi localizado no México


Entre os que acreditaram no pedido de Bolsonaro, o clima era de decepção. “Uma vergonha esse presidente, depois de tudo que os caminhoneiros passaram, simplesmente pede para retornarem à normalidade? Uma vergonha. O comunismo vai voltar ao Brasil com força, porque não temos ninguém para nos defender”, disse um integrante.


“Eles (governo) sabiam do movimento e do cronograma, agora vem com esse papinho. E deixando nossos amigos patriotas para o leões. Nós estamos lutando por eles e por nosso país. Hoje tem um patriota que foi em todas as manifestações decepcionado com áudio do PR e vídeo do Tarcísio”, criticou outro.


Com informações da CNN Brasil e G1

3 visualizações0 comentário