‘Bolsocaro’: Valor da gasolina nas bombas é o maior do século


(Imagem: Socialismo Criativo)

Por Carolina Fortes

O novo reajuste feito pela Petrobras nas refinarias na semana passada fez com que o litro da gasolina atingisse o maior valor do século. Segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP), o aumento foi de 3,15%, levando o valor da gasolina na bomba a R$ 6,562.


Já o litro do diesel S-10, com menor teor de enxofre, subiu 4,8% em relação à semana anterior, para um valor médio, na bomba, de R$ 5,29. O etanol hidratado vive uma inflação ainda pior: aumentou 59,3% no ano nos postos. Para os motoristas que abastecem os veículos flex fluel, a gasolina acumula uma alta de 45,3% no ano, nos postos.


De acordo com dados da ANP, o derivado atingiu em outubro um preço médio de R$ 6,341, o patamar mais alto deste século, tanto em valores nominais quanto reais (ajustado à inflação), segundo o monitor de preços do Observatório Social da Petrobras (OSP), entidade de pesquisa ligada à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), ao Instituto Brasileiro de Estudos Políticos e Sociais (Ibeps) e ao Instituto Latino-Americano de Estudos Socioeconômicos (Ilaese).


Neste ano, a gasolina já acumula alta de 74% e o diesel de 65%. A Petrobras anunciou na última semana um aumento dos valores da gasolina e do diesel para as distribuidoras: 7,04% e 9,15% respectivamente. Como consequência da disparada do preço, brasileiros têm cruzado a fronteira com a Argentina para abastecer.

Gasolina vem sofrendo aumentos consecutivos

De acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), o preço médio da gasolina subiu 3,1% na última semana de outubro. O valor máximo foi de R$ 7,88 no Rio Grande do Sul. Foi a quarta semana consecutiva de alta.


Em 14 estados, o litro da gasolina está acima de R$ 7: Acre ( R$ 7,300), Alagoas (R$ 7,198), Bahia (R$ 7,299), Ceará (R$ 7,190), Distrito Federal (R$ 7,199), Goiás (R$ 7,299), Mato Grossa (R$ 7,230), Minas Gerais (R$ 7,479), Pernambuco (R$ 7,439), Piaui (R$ 7,299), Rio de Janeiro (R$ 7,649), Rio Grande do Sul (R$ 7,299), Rio Grande do Sul (R$ 7,889) e Tocantins (R$ 7,279). O diesel subiu 4,5% nos postos e custa em média R$ 5,211 o litro. O valor mais alto do combustível foi registrado em Cruzeiro do Sul (AC), onde preço chegou a R$ 6,420. O etanol também subiu. A alta foi de 3,9% e chegou a R$ 5,066.


Leia também: Preço médio do gás de cozinha ultrapassa R$ 100 pela primeira vez; gasolina sobe 3,3%


O preço do botijão de gás (GLP) se manteve alto, fechando a semana em R$ 102,04.

Inflação além da gasolina

Com o preço da gasolina, do gás natural (GNV) e do etanol em alta, a inflação para o motorista no Brasil disparou e já chega a 18,46% no acumulado em 12 meses até outubro, segundo um levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). É a maior inflação para esse grupo desde 2000.


Esse aumento passou a consumir boa parte do orçamento dos brasileiros nos últimos meses. A alta também provocou uma enxurrada de reclamações de motoristas de aplicativo, que viram a renda do trabalho diminuir – as principais empresas do setor até anunciaram um aumento no repasse no valor da corrida para os trabalhadores.


1 visualização0 comentário