Autorreforma: PSB e Fundação João Mangabeira vão promover oficinas


(Imagem: Socialismo Criativo)

O Partido Socialista Brasileiro (PSB), com a apoio da Fundação João Mangabeira (FJM), vai realizar uma série de Oficinas da Autorreforma. A primeira será na segunda-feira (13), a partir das 15h. O objetivo é aprofundar a discussão das teses do PSB com especialistas.

O primeiro tema será ‘Cultura e Políticas Culturais’ e contará com a participação do antropólogo, poeta, ensaísta e historiador, Antonio Risério; e o pesquisador, produtor cultural e diretor teatral, Gehad Ismail Hajar.


O PSB entende que “a cultura, em suas três grandes dimensões – a simbólica, a cidadã e a econômica – é fundamental para a definição de um verdadeiro projeto de desenvolvimento nacional para o Brasil”.


Serão reuniões de trabalho com a Comissão de Sistematização do partido. Podem enviar perguntas por escrito dirigentes e militantes do partido, especialmente os coordenadores regionais da FJM e os Segmentos e Movimentos Sociais do PSB. Serão três horas de trabalho.


Os interessados podem se inscrever até o dia 12 de setembro, próximo domingo.

A abertura será feita pelo presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira. Domingos Leonelli, integrante do Diretório Nacional do partido e da Comissão de Sistematização, além de coordenador do site Socialismo Criativo, fará a contextualização dos debates sobre a Autorreforma. A mediação será feita por Paulo Bracarense.

Teses da Autorreforma

Durante as oficinas, serão analisadas as teses do Livro 5 com liberdade total dos palestrantes, não havendo, no entanto, compromisso da Comissão de Sistematização com as ideias defendidas por eles.


As oficinas serão mais um importante momento para aprimorar as propostas que o PSB levará para o Congresso Constituinte da Autorreforma que será realizado em abril de 2022.

Os inscritos receberão certificados de participação e uma publicação impressa do Livro 5 de teses da Autorreforma.

Convidados para a primeira oficina

Antônio Risério é autor de mais de 20 livros, entre os quais: Carnaval Ijexá, Caymmi: Uma Utopia de Lugar, Oriki Orixá, Adorável Comunista, A Utopia Brasileira e os Movimentos Negros, A cidade no Brasil, Mulher, Casa e Cidade, Sobre o Relativismo Pós Moderno e a Fantasia Fascista da Esquerda Identitária, e Em Busca da Nação.


Como poeta e letrista foi parceiro de Moraes Moreira, Gilberto Gil e Jorge Alfredo, formulou um projeto geral para implementação do Museu da Língua Portuguesa em São Paulo e o Cais do Sertão em Recife. Segundo Risério “é preciso deixar de parte as exacerbações particularistas, setoriais e vamos voltar a nos mover no campo da maioria nas águas mais vivas no conjunto da sociedade brasileira”.


Gehad Ismail Hajar Possui formação em Direito (PUCPR), Pedagogia (UFPR), Gestão Pública (UNICENTRO) e Cinema (Escuela de San António de Los Baños, Cuba).


Foi conselheiro municipal de cultura de Curitiba por dois períodos (2010 a 2019) e conselheiro estadual de cultura do Paraná igualmente por dois períodos (2017 a 2021).

Compôs as comissões de revisão da Lei de Mecenato Municipal de Curitiba em 2004 e da implantação da Lei Estadual de Fomento à Cultura do Paraná, em 2011.


Leia também: PSB tem responsabilidade com a população brasileira, diz Carlos Siqueira


Fundador do Coro Lírico de Curitiba, da Companhia Paranaense de Ópera e diretor-geral do Festival de Ópera do Paraná, atualmente maior evento lírico do Brasil, totalmente gratuito e focado na produção de óperas e operetas brasileiras, muitas destas inéditas.

Este Festival é o único do gênero que promove total acessibilidade com audiodescrição e tradução para Libras – Língua Brasileira de Sinais.


Preside o Sindicato dos Empresários e Produtores em Espetáculos do Paraná (SEPED-PR) e foi Diretor do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos do Paraná (SATED-PR).

Atualmente está produzindo, para este ano de 2021, o VII Festival de Ópera do Paraná, no IV Simpósio Brasileiro de Canto e o I Festival Nacional de Circo.

1 visualização0 comentário