Artigo: "Empreender é para todos"



Por Maria Elisabete Pinheiro


O que pensa a elite sobre os pequenos empreendedores?

Estranho começar um texto com uma pergunta?

Pode ser!


Faço essa pergunta porque o Empreendedorismo, antes de se tornar moda para uns, sempre foi e é a sobrevivência para muitos.

E muitos são tão pequenos empreendedores, que se tornam invisíveis aos olhos dos criadores das políticas sociais.

Ser empreendedor não é um privilégio, nem tão pouco exclusividade de uma elite social, moderna, cheia de oportunidades em educação e benesses econômicas. Empreendedorismo é despertar e levar para o mundo o potencial criativo que cada um tem para conquistar um estilo de vida com mais oportunidades e poder, assim, driblar com maestria as adversidades que os rodeiam. Adversidades de um país onde a desigualdade fala alto e tem voz ativa.

EMPREENDER É PARA TODOS!


Todos os perfis, todos os gêneros, todos os gostos, todos os tipos, todas as vocações, todas as classes sociais, todas as escolaridades, todas as regiões e todos os saberes.

Muitos são os desafios enfrentados por quem empreende.

Dentre muitos destes desafios está a falta de políticas públicas e sociais, falta de gestão para o desenvolvimento, falta de apoio para a geração de emprego e renda.

Enfim, falta muito!


Empreendedorismo não pode ser a nova classe empregatícia, onde o contingente de desempregados, jogados no olho da rua, muitas vezes com os seus direitos não respeitados, enfrente a luta de empreender, sem recursos, sem capacitação e sem apoio de nenhuma espécie.

Ser empreendedor é ter seus direitos respeitados e ser incentivado com ações que o vejam como gerador de emprego e renda, mas com garantias de poder manter seu empreendimento e sua vida com qualidade e dignidade, agora e no futuro.

Empreender é dar vida ao tamanho do seu sonho, seja qual for o tamanho que o ser possa sonhar.


O Empreendedorismo é uma área que deve ser respeitada em democracia, equilíbrio e boa vontade.

Empreender é Ser!

Ser quem você é, com o que você sabe!


Por isso, qualquer pessoa pode começar a empreender pequeno, muito pequeno e não se intimidar com o tamanho do seu começo, apenas seguir em frente, firme e confiante, para chegar ao tamanho que desejar chegar e crescer sem limites.


Naturalmente se tiver um olhar sério, comprometido, com criação efetiva de políticas públicas, sociais, econômicas e justas, essa caminhada será mais leve e mais confiante.

Assim, seja você político, empresário, voluntário ou pessoa comum não deixe de olhar e apoiar esses pequenos e invisibilizados empreendedores, com o que você tem, com o que você pode.


Lembre-se: todos somos agentes de transformação e empreender é para todos!

E eu ainda não consigo responder à pergunta que me faço sempre: O que a elite pensa sobre os pequenos empreendedores?

Se você souber me conta aí. Vou gostar de ouvir.






















Maria Elisabete Pinheiro é professora, consultora em Desenvolvimento Humano, idealizadora do programa 50 Pra Cima, empreendedora e militante do Partido Socialista Brasileiro do Distrito Federal.

@profmariaelisabete19



Quer publicar seu texto em nosso site?


Entre em contato com o PSB-DF: +5561993522526 ou +5561992319888


E-mail: psb40df@gmail.com

53 visualizações0 comentário