Acompanhe a entrega do ‘Superpedido de Impeachment’ de Bolsonaro


(Imagem: Socialismo Criativo)

Por Iara Vidal e Michelle Portela, Socialismo Criativo


A página do site Socialismo Criativo no Facebook vai retransmitir nesta quarta-feira (30), às 15h, a entrega por deputados da Oposição do Superpedido de Impeachment de Jair Bolsonaro (sem partido) ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).


Após a entrega do documento, será realizado um ato público em frente ao edifício do Congresso Nacional, em Brasília, a partir das 16h.


O pedido foi elaborado pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), tendo como signatários parlamentares de diferentes campos políticos, entidades representativas da sociedade e personalidades. No documento estão reunidos todos os crimes cometidos por Bolsonaro desde o início do mandato.


Leia também: 1 dólar de propina por dose de vacina anti-covid superfaturada


A entrega do pedido está programada para as 15h. Na sequência, às 16h, uma coletiva suprapartidária será realizada no Salão Verde da Câmara, para apresentar a peça à imprensa. Depois, os participantes se deslocam até à Alameda dos Estados, em frente ao prédio do Congresso, para realizarem um ato público.


Socialistas comentam Superpedido de Impeachment


O líder da Minoria na Câmara, Marcelo Freixo (PSB-RJ), comunicou sobre a entrega do superpedido. “Assinam deputados de esquerda, centro e direita”, pontuou.


O líder do PSB na Câmara comentou com exclusividade para o Socialismo Criativo sobre a entrega do superpedido de impeachment de Jair Bolsonaro.

“O Congresso Nacional não tem o direito de ficar omisso ante a avalanche de denúncias e indícios de crimes diversos praticados pelo Governo Bolsonaro. A sociedade exige a investigação dos fatos e punição exemplar dos responsáveis, sobretudo nos crimes praticados contra a vida de mais de 500 mil vítimas da pandemia. Esperamos que, finalmente, a abertura do impeachment seja autorizada para que o Parlamento cumpra seu papel.” Danilo Cabral

Agenda do Superpedido de Impeachment

Quarta-feira, 30/6

15h: Protocolização virtual do superpedido de impeachment na Câmara dos Deputados 16h: Coletiva de Imprensa 17h: Ato Público na Alameda dos Estados


Alguns dos partidos e entidades que assinam o documento

  • ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia)

  • Coalizão Negra por Direitos

  • Ambientalistas, como Rafael Echeverria Lopes e Enilde Neres Martins

  • MBL (Movimento Brasil Livre)

  • Advogado Mauro Menezes, ex-presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República

  • Ex-aliados de Bolsonaro, como deputados Alexandre Frota (PSDB-SP) e Joice Hasselmann (PSL-SP)

Alguns dos crimes mencionados no pedido

  • Crime contra a existência política da União Ato: fomento ao conflito com outras nações

  • Crime contra o livre exercício dos Poderes Ato: ameaças ao Congresso, STF e interferência na PF

  • Tentar dissolver ou impedir o funcionamento do Congresso Ato: declarações do presidente e participação em manifestações antidemocráticas

  • Ameaça contra algum representante da nação para coagi-lo Ato: disse que teria que “sair na porrada” com senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), membro da CPI da Covid

  • Opor-se ao livre exercício do Poder Judiciário Ato: interferência na PF

  • Ameaça para constranger juiz Ato: ataques ao Supremo

  • Crime contra o livre exercício dos direitos políticos, individuais e sociais Ato: omissões e erros no combate à pandemia

  • Usar autoridades sob sua subordinação imediata para praticar abuso do poder Ato: trocas nas Forças Armadas e interferência na PF

  • Subverter ou tentar subverter a ordem política e social Ato: ameaça a instituições

  • Incitar militares a desobedecer a lei ou infração à disciplina Ato: ir a manifestação a favor da intervenção militar

  • Violar direitos sociais assegurados na Constituição Ato: omissões e erros no combate à pandemia

  • Crime contra a segurança interna do país Ato: omissões e erros no combate à pandemia

  • Permitir a infração de lei federal de ordem pública Ato: promover revolta contra o isolamento social na pandemia

  • Crime contra a probidade na administração Ato: gestão da pandemia e ataques ao processo eleitoral

  • Expedir ordens de forma contrária à Constituição Ato: trocas nas Forças Armadas

  • Proceder de modo incompatível com o decoro do cargo Ato: mentiras para obter vantagem política

  • Negligenciar a conservação do patrimônio nacional Ato: gestão financeira na pandemia e atrasos no atendimento das demandas dos estados e municípios na crise de saúde

  • Crime contra o cumprimento das decisões judiciárias Ato: não criar um plano de proteção a indígenas na pandemia

  • Blindar subordinados em caso de delitos Ato: não pediu investigação de suposta irregularidade na Covaxin

2 visualizações0 comentário